A IMPORTÂNCIA DO JEJUM NA PERDA DE PESO E GORDURA

O jejum não é novidade e não é uma moda dos dias de hoje. O nosso organismo foi projetado para jejuar, e o jejum está há muito presente na História da Humanidade: o jejum da Quaresma, do Yom Kippur e do Ramadão são apenas alguns dos exemplos mais conhecidos. Segundo as palavras de São Nicolau, «a gula deixa o homem triste e medroso enquanto o jejum torna o homem alegre e corajoso». O jejum intermitente, feito de forma saudável, de preferência acompanhado por um especialista, é um excelente recurso para quem quer emagrecer e eliminar, rápida e eficientemente, o excesso de gordura que se instalou no organismo, desequilibrando-o. Quando existe uma quantidade alta de insulina no organismo (provocada por excessos alimentares), o cérebro recebe a informação de que não é necessário queimar gordura. O jejum, ao provocar uma queda da insulina, vai fazer com que o cérebro receba a informação precisamente contrária: “Alerta! O organismo está a precisar urgentemente de energia!”, logo o organismo vai imediatamente buscar essa energia (glicose), armazenada sob a forma de gordura, dando início a um processo de queima de gordura e de perda de peso. Assim, a principal consequência do jejum é diminuir os níveis de insulina, melhorar os níveis de glicose e ativar substâncias que promovem a queima de gordura. O jejum, feito de uma forma correta, não provoca a perda de massa magra e, quando o organismo está em jejum, entra num estado de alerta máximo e o sangue é imediatamente bombardeado para os órgãos vitais, como coração, pulmões, e cérebro.

O jejum não é apenas uma boa prática para eliminar gordura, é também, e sobretudo, uma prática para aumentar a esperança média de vida, segundo Yoshinori Ohsumi, vencedor do Prémio Nobel de Medicina em 2016. Diz este médico que o jejum induz à autofagia, que é um mecanismo de autolimpeza das células. As células do nosso corpo estão sempre a fazer um check-list a elas mesmas, autorregenerando-se. Quando o nosso organismo se alimenta mal, e damos espaço a um terreno biológico não saudável, as células perdem a capacidade de fazer a limpeza, a dita higiene celular. Ora, o jejum vai dar ao corpo o descanso necessário para que as células voltem a regenerar-se. Uma insulina baixa é sinónimo de alimentação regrada, regeneração celular e, consequentemente, de vida saudável. É uma excelente forma para perder gordura e eliminar os maus hábitos.

O jejum joga outro papel importante no nosso autocontrolo porque, a partir do momento em que comandamos o nosso apetite, ganhamos controlo sob o nosso corpo, aumentamos a nossa disciplina, disciplinamos a consciência e aguçamos a perceção do eu. Começamos a tomar uma maior consciência das nossas decisões e é quando nos mudamos a nós que somos capazes de mudar a forma como vivemos e de nos desviarmos de hábitos nocivos.

Neste sentido, quando se recorre ao jejum é muito importante saber que alimentos ingerir aquando da quebra do mesmo. O jejum intermitente e consciente é, asseguro-lhe, um grande aliado para queimar gordura e, dizem os entendidos, para combater o envelhecimento.

No livro ‘Os Pecados do Corpo’ as leitoras encontram testemunhos, explicações e respostas para os diferentes problemas inestéticos do corpo, além de conselhos, refeições, exercícios e massagens fáceis de fazer em casa!

Porquê o jejum para eliminar gordura?

O que não mata, fortalece, certo? Precisa urgentemente de queimar gorduras! De acordo? Mas quais gorduras e com que objetivo? Para emagrecer?! Acontece que o seu corpo não pensa da mesma maneira. O corpo queima gordura não para emagrecer (perdendo massa muscular) mas porque precisa de a queimar e cumprir as suas funções metabólicas básicas: ter um carburante, produzir energia/calor e construir músculo.

A prática do jejum vai, precisamente, pôr a sua fornalha (metabolismo) a carburar. Com o jejum, a sala de motores volta a entrar em ação – e de forma eficiente e económica.

O jejum vai ajudá-la a perder peso e volume, mas não só. Vai ajudá-la a ter menos problemas de saúde, a ter um cérebro desperto, mais reativo e com melhor memória. Vai devolver-lhe a autoconfiança, torná-la mais sedutora e ter um aumento da líbido. Vai sentir mais energia com a reativação da circulação sanguínea. As suas pernas ficarão mais leves, os joelhos menos grossos e mais definidos. O aspeto da pele e dos cabelos melhora. E, além de tudo isto, economizará dinheiro porque, afinal de contas, estará a poupar em muito lixo alimentar.

Todas estas razões são suficientemente animadoras, mas sabemos que quando chega a altura é difícil de manter a disciplina. É preciso que tome consciência de que vai partir para uma guerra contra um inimigo de peso. Arme-se com a sua coragem e a ajuda de um profissional, e lembre-se de que a dificuldade não mora nos poros do seu corpo, mas sim nas entranhas da sua mente.

No meu mais recente livro, ‘Os Pecados do Corpo’ esta vertente é analisada de uma forma mais minuciosa.

Pode adquirir o meu livro, que será o seu guia para uma vida mais saudável e sustentável.

📗ADQUIRA JÁ O SEU LIVRO AQUI!