PELE MISTA OU OLEOSA? O DR. JOÃO MONTEIRO DA IZB® CLINIC EXPLICA O QUE USAR

Atualmente, assistimos a um fenómeno que existe na evolução da pele ao longo dos anos! A pele mista ou oleosa não é mais um tipo de pele directamente ligado à adolescência ou a jovens adultos. Cada vez mais, em consulta, é possível observar utentes com uma idade mais avançada mas que apresentam uma pele mista. Este fenómeno é multifatorial e depende de aspetos como a alteração do tipo de dieta (antigamente típica e quase exclusivamente mediterrânica, para uma dieta rica em alimentos processados e hidratos de carbono e pobre em frutas e vegetais orgânicos), alterações hormonais, toma de alguns medicamentos, poluição envolvente, entre outros hábitos adquiridos.

Assim sendo, observamos que utentes que numa faixa etária a partir dos 40 anos  que , antigamente, começavam à procura de produtos cosméticos com mais princípios que fornecessem uma maior nutrição à sua pele, por conta da sua tendência mais seca, hoje pessoas da mesma faixa etária trocam esse tipo de formulações por galénicas mais leves, que absorvam mais rapidamente e que não deixem a pele tão untuosa.

Aqui deixo algumas sugestões de princípios ativos que devem constar nos produtos que poderá adquirir, de forma controlar a oleosidade da pele, ajudando, em alguns casos, no combate simultâneo ao envelhecimento cutâneo, na manutenção de uma tez uniforme e numa barreira cutânea reforçada!

Como princípios ativos para uma pele mista a oleosa, gosto sempre de indicar:

– Ácido Gligólico: o ácido glicólico é um alfa-hidroxiácido, reconhecido pela sua capacidade de oferecer uma esfoliação uniforme à pele, promovendo uma renovação celular para que se consiga optimizar a aparência das linhas finas, alisar o grão da pele, controlar a oleosidade e melhorar a aparência de manchas/cicatrizes de acne.

-Ácido Salicílico: O ácido salicílico é um beta-hidroxiácido que tem várias propriedades benéficas na pele como a sua ação queratolítica, que afina o grão da pele e eliminando imperfeições. Possuí ainda uma ação antimicrobiana o que, em caso de acne ativa, pode ser uma ajuda generosa no controle da mesma. Para além disso, quem usa este ácido pode experimentar um grande controlo da oleosidade da pele. 

– Ácido Mandélico: O ácido mandélico possui ação hidratante, branqueadora antibacteriana e fungicida, sendo indicado para pele com tendência à acne ou com hiperpigmentações. É também indicado para peles que ofereçam alguma intolerância ao uso do ácido glicólico.

– Zinco: Um derivado do zinco que pode ser assimilado pela pele é o gluconato de zinco. Trata-se de um agente sebo-regulador conhecido pelas suas propriedades antibacterianas e adstringentes. Reequilibra visivelmente e matifica a pele do rosto. 

– Niacinamida: conhecida como vitamina B3, a niacinamida desempenha um papel fundamental em acalmar e ajudar a reparar a barreira da pele.  A aplicação de Niacinamida pode ter muitos benefícios para o utilizador como a ajuda no fortalecimento da barreira cutânea, reduzindo a perda de água e, consequentemente, a desidratação. Esta vitamina é também conhecida por reduzir visivelmente os efeitos de agressões externas, estando, muitas vezes em formulações com ativos com ações mais fortes ou lesivas para a pele.

– Retinol: Pertence À família dos retinoides que se trata do conjunto de ingredientes ativos cosméticos derivados da vitamina A, que ao serem aplicados na pele se transformam em ácido retinóico. Sendo que alguns destes derivados são mais eficazes e sensibilizantes que outros.

Dentro desta família de retinóides os mais utilizados nos produtos cosméticos são o retinol palmitato de retinilo, propionato de retinilo e retinaldeído. Alguns dos benefícios mais conhecidos são: 

– Aumento da produção de colagénio e elastina, o que quer dizer que reforçam a estrutura da pele levando a uma diminuição de rugas e linhas de expressão:

– Promovem a renovação celular melhorando a textura, aparência e aspeto da pele. Associado a este efeito, existe uma melhoria das imperfeições cutâneas como pontos negros e poros obstruídos, assim como na regulação da produção de sebo

– Gluconolactona: trata-se de um  polihidroxiácido (PHA), e por isso tem algumas semelhanças com alfa-hidroxiácidos (AHA). Oferece capacidades como hidratação, esfoliação suave, anti-oxidante, comedolítico  e inibição de processos de glicação.

– Pré e Próbióticos: Não são mais do que as bactérias comensais da nossa pele no seu estado completo ou fracionado com o objetivo de reforçar a nossa microflora cutânea e assim garantir a manutenção da hidratação, da barreira cutânea e a inibição de outros microorganismos que se possam desenvolver e provocar patologias como o caso da Acne.
Deixo ainda o alerta a alguns pormenores nas galénicas dos produtos que também devem ter em conta:
-Se tem uma pele mista ou oleosa, dê preferência a produtos com texturas mais fluidas, de rápida absorção e que tenham algum efeito matificante. Vai sentir-se mais confortável até ao final do dia, se travar a oleosidade habitual da zona T;
– Outro aspecto muito importante é a sensibilidade e a desidratação muitas vezes apresentadas por peles mistas ou oleosas! Não vamos confundir hidratação com nutrição da pele.
Hidratação é sempre bem-vinda, mesmo numa pele oleosa! Contudo tem de ser ajustada em formulação e galénica!
Assim sendo, procure produtos que confiram hidratação e que fortaleçam a sua barreira cutânea, nomeadamente com pré e probióticos.

Texto: Dr. João Santos Monteiro, farmacêutico especializado em Dermocosmética e Estética Avançada 

Marque a sua consulta com o Dr. João Santos Monteiro!

Instagram: @izbclinic

Telefone: 935 068 875 

E-mail: izbclinic.geral@gmail.com

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Shopping Cart
Enviar Mensagem
💬 Vamos conversar?